A arte de amar e Remédios de amor, de Ovídio - ES

A arte de amar e Remédios de amor

“A arte de amar” é um título que seduz por sua simplicidade e inquieta por sua ingenuidade. Pode-se perguntar se é necessário, útil ou conveniente ensinar esta arte, que parece evidente, fazendo parte dessas coisas tão compartilhadas e tão comuns a todos sem que seja preciso ensiná-las. Mas Ovídio não ensina o sentimento, mas a habilidade; não o amor, mas a sedução. Reconcilia os dois sexos e dá à mulher sua participação e sua iniciativa neste jogo sério e leviano do qual séculos de “civilização” a excluíram.

“Remédios de amor” é um poema de 814 versos escritos em latim pelo poeta romano Ovídio. Nesse poema, de caráter estoico, Ovídio oferece conselhos e estratégias para evitar os danos que o amor nos possa produzir. O objetivo do poema é ensinar, em particular a jovens homens, como evitar a idealização das mulheres amadas. Serve, também, como ajuda no caso de o amor trazer desesperança e desgraça. Ovídio assegura que os suicídios são produto de amores desafortunados, que podem ser evitados por meio do cumprimento de seus conselhos.

Clique abaixo:

http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=6685 (A arte de amar)
http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=6686 (Remédios de amor)

Nenhum comentário: