Anfitrião, de Plauto - PT

Anfitrião

Júpiter, tendo-se apaixonado por Alcmena, esposa de Anfitrião, resolve fazer-se passar por este, a fim de passar a noite com ela. Por outro lado, para que melhor resultasse o ardil, fez com que Mercúrio, seu filho, se disfarçasse de Sósia, o criado de Anfitrião. De regresso da guerra, os verdadeiros Anfitrião e Sósia vêem-se metidos numa crise de identidade, já que Alcmena lhes assegura terem há muito chegado.

Desta peça, resultou que para a eternidade, anfitrião fosse aquele que bem recebe em sua casa, e sósia o duplo de outrem.

De todas as comédias de Plauto, o ANFITRIÃO tem sido, até aos nossos dias, porventura a mais apreciada e a mais imitada no teatro, no cinema e na literatura. O tema do marido enganado, a comicidade resultante dos encontros e desencontros cênicos provocados por dois pares de gêmeos, mas sobretudo o seu caráter singular de paródia mitológica, continuam a merecer o interesse do grande público e a fazer rir, tal como o Autor pretendia que os romanos rissem das próprias divindades.

Clique abaixo:

http://letras.fflch.com.br/arquivos/IEC/O%20Anfitriao%20-%20Plauto%20-%20Cena%201.pdf (Parte 1)
http://letras.fflch.com.br/arquivos/IEC/O%20Anfitriao%20-%20Plauto%20-%20Cena%202.pdf (Parte 2)

Nenhum comentário: