Intercompreensão em línguas românicas - PT

Intercompreensão de Língua Românicas

Partindo da hipótese de que a Intercompreensão em Línguas Românicas pode auxiliar no desenvolvimento de competências de leitura e escrita em língua materna, iniciamos uma pesquisa de doutorado que procura investigar como a inserção dessa abordagem na grade curricular do ensino fundamental II pode atender a essas necessidades. Segundo dados do IBGE, de setembro de 2010, um em cada cinco brasileiros de 15 anos ou mais (20,3% do total) são considerados como analfabetos funcionais pela pouca capacidade em utilizarem a leitura e a escrita em atividades da vida diária que requerem tais habilidades. Carrasco Perea (2003) sugere que a intercompreensão inserida principalmente no contexto da escola primária pode contribuir para a consolidação da aquisição da língua materna através de comparações com uma língua-alvo onde é possível identificar tanto a autoridade quanto a diversidade linguística e cultural, além de capacitar o aluno a reconhecer a presença dessa pluralidade em um ambiente próximo ou distante. Em pesquisa realizada por Andrade, MeloPfeifer & Santos (2009), observamos fenômeno similar onde crianças de uma escola primária portuguesa passaram a compreender melhor o funcionamento da língua, como as suas especificidades e relações, após contatos com diferentes universos linguísticos. Para um diagnóstico mais claro quanto aos efeitos da aplicação dessa abordagem utilizaremos técnicas de observação, anotações por contato direto e propostas de atividades com alunos de uma escola da zona norte do município de Natal durante o segundo semestre do ano letivo de 2011, por meio de pesquisa exploratória de estudo de caso do tipo ação, caracterizada segundo autores como Bassey (2003) e André (2005).

Clique aqui.

Nenhum comentário: