De rerum natura - LT/PT


O miseras hominum mentes, o pectora caeca!
qualibus in tenebris vitae quantisque periclis
degitur hoc aevi quod cumquest! Nonne videre
nihil aliud sibi naturam latrare, nisi ut qui
corpore seiunctus dolor absit, mente fruatur
iucundo sensu cura semota metuque?

Lucretius, De rerum natura, II, 14-19


Ó miserável juízo humano, ó coração cego! Em muitas trevas e em tamanhos perigos, esta vida sempre transcorre. Não se vê que a natureza nada clama para si, a não ser que a dor se mantenha longe do corpo e que o espírito se deleite com um agradável sentimento, distante de toda inquietação e medo?

Lucrécio, Da natureza das coisas, II, 14-19

Nenhum comentário: